Para quem não teve oportunidade de ler, aqui está a entrevista completa, ao jornal Record on-line 07 Julho 2019, do CBA.

Os anos de ouro do basquetebol do Algarve: CBA vencedor com prata da casa

Outro emblema de Albufeira a dar cartas, com a conquista da Taça Nacional em sub-16 masculinos

Além do Imortal, em Albufeira mora outro emblema, o Clube de Basquete de Albufeira (CBA). Muitas vezes conhecido por ser o clube que formou Tomás Barroso, capitão do Benfica (que atuou seis anos no CBA e outro no Imortal), o CBA alcançou esta época o terceiro título nacional em 23 anos de existência, a Taça Nacional em sub-16 masculinos.
"Começámos em 1996 e temos masculinos, principalmente, e femininos. Somos um clube de formação e os miúdos vão passando. Trabalhamos com o pessoal da casa, com competência na formação. Depois estes vão para a universidade e ficamos quase sem possibilidade de os manter", vincou Marcos Bila, diretor do CBA.

A receita, diz, passa por apostar na qualidade logo de início: "O técnico da equipa, Nuno Mateus, foi também o técnico do outro título masculino. Aqui, o treinador chega até ao topo dos escalões com a equipa e depois vem novamente para baixo. Os mais graduados e melhores estão com os miúdos de 9 anos."

Bila elogiou o trabalho recente da Associação de Basquetebol no Algarve no crescimento da modalidade na região e explicou que os algarvios "analisaram o que de bom era feito nas outras regiões e eles agora fazem o mesmo connosco." 
Falta compensação

O diretor do CBA lamenta apenas que a lei referente a transferências na formação tenha sido alterada há dois anos, o que considera uma "falta de respeito": "Às vezes os jogadores são aliciados por títulos e vão embora. É a parte mais cáustica. Somos realistas e percebemos as nossas dificuldades. Mas antes havia uma compensação ao clube formador e isso esfumou-se. Somos considerados clube formador pela FPB e pertencemos à escola nacional do minibásquete. É bom, mas isso não nos salvaguarda."

Jovem capitão 
Pedro Ramires, de 16 anos, era o capitão da equipa de sub-16 que venceu esta época a Taça Nacional. Duas vezes presente nas seleções regionais, em sub-14 e sub-16, falou com orgulho da conquista. 
"Foi uma grande sensação porque tivemos uma época muito sofrida, com muitas lesões. Vou estar sempre envolvido em desporto, vou continuar a jogar até não poder mais", relatou a Record.

Pedro Ramires
Créditos: Jornal Record
Um website emjogo.pt